ThetaHealing é aliado para evitar pânico em períodos conturbados

Preocupação com Coronavírus aumenta ansiedade dos brasileiros. Instrutora de ThetaHealing ensina o que fazer em casa para aliviar a tensão


Nos últimos dias, o surto de Coronavírus tomou conta das manchetes mundiais. Após ser declarado como pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a tensão aumentou em todos os locais do mundo. Enquanto isso, no Brasil, o vírus ainda apresenta poucos casos, mas a estimativa é que nos próximos dias o número aumente devido ao alto risco de contágio. Não é à toa que a maioria das pessoas já estão apreensivas e redobrando cuidados básicos com a higiene, conforme recomendação de diversos especialistas e do Ministério da Saúde.

Thetahealing é aliado para evitar pânico em períodos conturbados

Assim como outras épocas em que também houveram epidemias de doenças virais, agora o alerta mundial pode causar medo em diversas pessoas. Por isso, esse é um momento fundamental para evitar pânico e controlar as emoções para se prevenir adequadamente e evitar consequências psicológicas e físicas.


A terapeuta de ThetaHealing, Amanda Pissolati, explica que é comum a ansiedade tomar conta, principalmente, em surtos como o do Coronavírus. “Esse é um problema que afeta não só você mesmo, mas também todos a sua volta. Além disso, existem grupos de riscos que pode não afetar você, mas um ente querido. Tudo isso, faz com que as pessoas se sintam com medo e abaladas. As relações em todos os aspectos ficam prejudicadas”.


ThetaHealing como auxílio em tempos de crise

Uma das técnicas utilizadas para evitar a ansiedade e medo desse período é o ThetaHealing. Amanda explica que este é um método capaz de eliminar, através de reprogramação mental, as crenças limitantes. “São tais crenças que nos faz sentir medo, ansiedade e pânico. Afinal, ao escutar tanto sobre os riscos das doenças e epidemias, como o Coronavírus, o nosso subconsciente começa automaticamente a mandar sinais de autodefesa e proteção exageradas causando ações que podem ser excessivas”.


Como manter a calma?

O ThetaHealing é uma excelente ferramenta nesse momento. “Com essa técnica, conseguimos reprogramar e eliminar esses conteúdos exagerados da mente. Dessa forma, fica mais fácil para manter o foco e a calma para se prevenir de maneira eficaz e correta, além de auxiliar outras pessoas ao redor a se sentirem calmas também”.


Desafio na quarentena

Uma das principais recomendações da OMS e do Ministério da Saúde, é evitar sair de casa durante o período de crescimento da doença devido ao forte nível de contágio. Esse também pode ser um momento difícil para manter a calma, principalmente, relacionada a vida profissional, já que um problema dessa magnitude atinge também diretamente a economia.


Portanto, nesse momento é fundamental fazer exercícios para evitar consequências psicológicas enquanto a população aguarda por um cenário melhor. Amanda separou algumas recomendações. Confira:

 - Invista em atividades para relaxar;

- Tire um momento para ouvir uma música, ler um livro ou ver um filme;

- Converse com os familiares sobre assuntos mais leves;

- Mantenha uma rotina de exercícios físicos dentro de casa, como alongamentos e etc;

- Lembre-se: além de se prevenir contra o vírus, é fundamental manter a saúde psicológica em dia para passar por esse momento importante para todos.



Fonte: Amanda Pissolati, administradora, empreendedora e instrutora de ThetaHealing do Semente Quântica. Certificada como instrutora máster da técnica. Com mais de 30 cursos como praticante e 12 como instrutora.


11 visualizações
  • Spotify - Semente Quântica
  • YouTube - Semente Quântica
  • Facebook - Semente Quântica
  • Instagram - Semente Quântica

Av. Raja Gabaglia - 2000, sala 922 Torre. 2, Estoril | Belo Horizonte 
Ligações: (31) 98843-1633

SementeQuantica.com© Copyright 2020 

As declarações neste site não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Esta informação é fornecida estritamente para fins educacionais. De nenhuma maneira as informações neste site devem ser consideradas um substituto para o atendimento médico competente por seu médico ou outro profissional de saúde.